Crianças Yanomami no Amazonas sofrem com falta de saneamento básico

Por Deogracia Pinto – Brasília

Das cinco crianças Yanomami da aldeia Maiá, localizada no estado do Amazonas, que foram levadas às pressas de helicóptero a São Gabriel da Cachoeira no final de semana, quatro chegaram à cidade com um quadro severo de desidratação. Três foram diagnosticadas com Covid-19 e uma ainda é tratada como caso suspeito, já que o pai foi contaminado.

O diretor-presidente da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro, Marivelton Barroso, diz que o saneamento básico da região é bem precário e isso pode ser o maior causador da diarreia e da contaminação por coronavírus entre as crianças. 

Marivelton lembra que, um dia antes, uma menina de um ano e oito meses, também de Maiá, foi internada em São Gabriel com pneumonia e Covid-19. E declara que a maior preocupação dele é que Maiá, uma das 330 comunidades da Terra Indígena Yanomami, fica a uma hora de avião da área urbana de São Gabriel, a 170 quilômetros de distância.

A terra indígena Yanomami é a maior do Brasil, com 9,6 milhões de hectares, distribuídos em oito municípios dos estados do Amazonas e Roraima.

Lá vivem aproximadamente 26 mil Yanomami e Ye’kwana.

Edição: Joana Lima

Fonte:Rádio Agência Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *