Por Tatiana Alves – Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, pediu que seja adiado o julgamento sobre a decisão que pode torná-lo inelegível por oito anos. Crivella é acusado de ter promovido eventos para oferecer facilidades e benefícios para seus seguidores e também de usar recursos da prefeitura para alugar espaços para promoção política de candidatos para servidores municipais.

O pedido foi feito durante entrevista coletiva nesta quarta-feira (23). Marcelo Crivella fez um apelo ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Cláudio Brandão. Isso porque Gustavo Alves, que é juiz do TRE e havia se declarado impedido de participar da votação horas antes da sessão, mudou de ideia na hora da plenária e acabou votando pela inelegibilidade do prefeito do Rio. Gustavo é também advogado da empresa Lamsa, que tem problemas judiciais com o Executivo municipal.

Marcelo Crivella solicitou que os membros do TRE possam abrir espaço para os advogados do partido entrarem com petições, já que a lei prevê que é preciso haver um quórum para validar um julgamento, o que não aconteceu.

Crivella declarou ainda que acredita que um recurso no tribunal possa reverter a decisão, mas gostaria de uma análise mais detalhada pelo envolvimento de um advogado de uma empresa que teve divergências com a prefeitura no julgamento.

Na segunda-feira, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro formou maioria para declarar a inelegibilidade do prefeito Marcelo Crivella. O julgamento, Interrompido por um pedido de vista do desembargador Vitor Marcelo Rodrigues, deve ser retomado nesta quinta-feira.

Edição: Ana Pimenta

Fonte: Rádio Agência Nacional