Com o objetivo de reduzir o impacto causado pela Covid-19 no empréstimo de livros, a equipe Robolife, do SESI Candeias, na Bahia, desenvolveu uma cabine esterilizadora que utiliza o gás ozônio para agente desinfetante. Quatro alunas da unidade desenvolveram um sistema de ventoinhas que, quando acionado, desinfeta o livro que fica aberto em uma prateleira. Assim, o ar junto com o ozônio perpassa todo o conteúdo do livro e garante o processo de desinfecção. O procedimento dentro da cabine leva cerca de um minuto.

O projeto rendeu às alunas do SESI Candeias o prêmio de Melhor Projeto em Pesquisa no Torneio SESI de Robótica – Desafio Covid-19. A equipe Robolife concorreu com outros 400 times, compostos por quase dois mil estudantes de escolas públicas e privadas de todo o país. Entre o tempo de pesquisa e a entrega do protótipo, o grupo Robolife levou cerca de um mês e meio.

Foto: SESI Candeias

“Foi muito prazeroso trabalhar em prol de algo que estamos vivendo. Terminamos o primeiro protótipo, ele funciona, já está em processo de aprimoramento. Estamos desenvolvendo algumas melhorias. Vamos em busca de colocar um equipamento desse (cabine) em cada unidade do SESI/SENAI aqui da Bahia para que possam auxiliar na desinfecção do coronavírus. É a nossa meta. Acreditamos que tem chance de ser usado não só durante a pandemia, porque o livro quando é emprestado, independente da pandemia ou não, pode conter vírus, bactérias”, diz o técnico da equipe, Clóvis Campagnolo. 

Uma das quatro integrantes da equipe, Natália de Jesus, de 14 anos, explica que a ideia da cabine esterilizadora surgiu a partir do entendimento do grupo de que o projeto deveria ser em algo pouco focado pela população, como a contaminação pelo coronavírus através do empréstimo de livros.

“Quando fomos pesquisar sobre o que iríamos tratar, queríamos que fosse algo diferente. Sabíamos que vinham surgindo várias coisas relacionadas ao combate ao coronavírus, mas vimos que os livros não estavam no foco das pessoas. Queríamos seguir por uma vertente que as pessoas não estivessem olhando muito. Vimos que essa seria uma vertente boa para se seguir”, diz. 

A estudante do SESI Candeias destaca ainda que precisou conciliar as aulas online com o desenvolvimento do projeto. “Foi tudo diferente. Tudo remoto. Tivemos que conciliar aulas com reuniões, mas no final deu tudo certo. Estamos muito felizes com o resultado”, completa. 



Prêmios

No Torneio SESI de Robótica – Desafio Covid-19, sete equipes foram premiadas: primeiro, segundo e terceiro lugares no geral, que ficaram com as equipes SESI Birigui (SP), SESI Planalto (GO) e Colégio COESI Aracaju (SE), respectivamente. Houve também premiação para o Melhor Projeto de Pesquisa (SESI Candeias); Melhor Projeto em Criatividade e Inovação (SESI Biotech – SP); Melhor Proposta de Empreendedorismo (Colégio Franco Brasileiro–RJ) e, também, de Impacto Social (SESI Canaã-GO). 

Todas as sete vencedoras receberam medalhas individuais por competidor e um troféu por equipe, da respectiva categoria conquistada. Além disso, as três primeiras colocadas foram convidadas a expor seus projetos em um stand exclusivo, durante o próximo Festival SESI de Robótica, previsto para ocorrer em maio de 2021.
 

Fonte: Brasil 61