Violência sexual praticada por médicos pode ser denunciada online

Por Eliane Gonçalves – São Paulo

Coletivos de mulheres criam canal de denúncias de violência sexual praticada por médicos. A base da campanha é a plataforma #OndeDói.

No site, pessoas que foram vítimas de violência sexual preenchem um formulário contando o que aconteceu e ainda podem pedir ajuda emocional ou jurídica. Psicólogas e advogadas voluntárias dão suporte às vítimas.

Uma das idealizadoras da campanha é a atriz Nina Marqueti, que já foi vítima de violência sexual e sabe o quanto é difícil denunciar crimes praticados por pessoas cercadas de prestígio.

Além de quebrar o silêncio sobre o problema, a campanha ainda quer mapear as regiões do país mais afetadas e como a violência sexual ganha forma em hospitais, clínicas e unidades de saúde pelo país afora.

Até agora, praticamente metade dos relatos, 49%, mostra que as principais vítimas são mulheres jovens de até 20 anos ou crianças e adolescentes. A violência durante o ato médico tem nome: violência sexual mediante fraude. E a recomendação de Nina Marqueti é estar com ouvidos abertos para o que crianças e adolescente têm a dizer.

Os dados coletados na plataforma vão ajudar a produzir uma cartilha para orientar as pessoas sobre os seus direitos e evitar que outros pacientes sofram esse tipo de violência. No sitewww.ondedoi.org, as pessoas também podem encontrar explicações de médicos sobre procedimentos mais delicados, como o atendimento ginecológico, além de relatos de outras vítimas de violência sexual.

Edição: Sumaia Villela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *