Por Victor Ribeiro – Brasília

O presidente Jair Bolsonaro fez nessa terça-feira a primeira visita de cortesia ao novo presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux. O encontro durou 45 minutos e ocorreu a portas fechadas, sem a presença de assessores ou ministros.

Na reunião, Fux apresentou a Bolsonaro as principais diretrizes para os dois anos de mandato como presidente do Poder Judiciário e destacou os eixos da gestão: a proteção dos direitos humanos e ao meio ambiente; a segurança jurídica para as operações econômicas; o combate à corrupção, ao crime organizado e à lavagem de dinheiro; e a digitalização da Justiça.

O encontro não constava da agenda dos presidentes do Executivo e do Judiciário, mas ocorreu a pedido de Jair Bolsonaro. O objetivo foi estabelecer o diálogo institucional e reforçar a harmonia entre os Poderes.

Foi a terceira vez este ano que Bolsonaro foi de surpresa até o Supremo. Na primeira, em maio, o presidente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e um grupo de empresários atravessaram a Praça dos Três Poderes a pé para visitar o então presidente da Corte, o ministro Dias Toffoli. Eles demonstraram preocupação com a crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19.

E a segunda visita foi em setembro, quando Jair Bolsonaro prestigiou a sessão plenária que marcou a despedida de Toffoli da Presidência do Supremo.

Na semana passada, o plenário da Corte começou a julgar de que forma Bolsonaro poderá depor no inquérito que investiga se é verdade a declaração do ex-ministro da Justiça Sergio Moro de que o presidente teria tentado interferir politicamente na Polícia Federal. Existe a possibilidade de o depoimento ser presencial ou por escrito. Até agora, somente o relator, ministro Celso de Mello, votou, pelo interrogatório presencial.

A previsão é de retomar o julgamento esta semana, mas, antes, o plenário do Supremo Tribunal Federal vai julgar o pedido da defesa para soltar o traficante André do Rap.

Edição: Sumaia Villela