Por Kariane Costa – Brasília

Festival antigo, formato diferente….. No Maranhão, o Festival Guarnicê de Cinema, um dos mais tradicionais do estado, começa nesta quarta-feira (14) em formato on-line, mas com público.

É que abertura e o encerramento serão feitos em um drive-in. Ou seja, as pessoas vão assistir as apresentações de dentro os carros, um telão de cinema….

O Festival Guarnicê nasceu como Jornada Maranhense de Super Oito, em 1977, na Universidade Federal do Maranhão. O objetivo era estimular jovens cineastas usando o equipamento mais barato da época, a Câmera Super Oito.

Hoje tem fama internacional, como conta o professor Euclides Moreira Neto, da UFM, mestre em comunicação social.

Zefinha Bendivi, professora de extensão e cultura  da Universidade Federal do Maranhão explica que Guarnicê é uma expressão maranhense que significa prover, abastecer, preparar-se para , voltada para o festival do Bumba meu Boi do Maranhão. 

A edição deste ano, número 43, teve que se adaptar em razão do pandemia da Covid e vai oferecer oficinas, debates virtuais e exibição de mostras competitivas por meio de uma plataforma na internet.,

Para a professora Zefinha, o lado positivo do novo formato é que acabou democratizando o festival, já que será transmitido pela internet.

A professora Zefinha diz que o festival é simbólico no estado. Mas um grande ganho para cultura nordestina, em um momento que  é preciso fortalecer a cultura nacional 

Dos nove filmes que concorrem na Mostra Competitiva Nacional de Longas, sete deles documentários: Negro em Mim, Vidas Barradas, Servidão, Diga Meu Nome, A Nossa Bandeira Jamais Será Vermelha, Sertânia, Soldados de Borracha, A Mulher da Luz Própria e Terminal Praia Grande.


O festival ainda tem as categorias Curtas Nacionais, Curtas Maranhenses e Videosclipes Maranhenses. Ao todo, 51 filmes nacionais e estaduais foram selecionados para as mostras competitivas desta edição do Festival Guarnicê. A programação pode ser conferida no site guarnice.ufma.br

Edição: Joana Lima