Por Kariane Costa – Brasília

Reconhecer o passageiro no embarque do aeroporto por meio de um scanner facial. Parece coisa de filme, mas, aqui no Brasil, essa tecnologia já está sendo colocada em prática.

O aeroporto internacional de Florianópolis começou a testar um projeto que permite que o passageiro seja identificado pela leitura de sua face. A partir daí, o embarque é automático nos portões eletrônicos do terminal.

Funciona da seguinte forma: ao fazer o check-in, é capturada uma imagem do rosto do passageiro, e essa imagem é comparada à da base de dados oficial do governo. Neste primeiro momento, está sendo usada a base de dados do Denatran, das carteiras de motoristas, que tem hoje mais 50 milhões de cadastrados.

O secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, dá mais detalhes.

O projeto chamado de Embarque Seguro deve aumentar a segurança e reduzir o tempo de espera em filas para embarque. Mas ainda está na fase inicial; é preciso ainda avaliar os resultados e também as questões relativas à Lei de proteção de dados, já que são usados os dados dos passageiros e motoristas.

Por enquanto, apenas voluntários vão testar a nova tecnologia. O Aeroporto de Florianópolis, que é administrado pelo grupo suíço Zurich Airportt, foi escolhido por já oferecer infraestrutura e tecnologia de base para a instalação do processo biométrico de embarque.

O projeto é idealizado pelo Ministério da Infraestrutura em parceria com a Serpro, empresa de TI do Governo Federal. A Serpro desenvolveu o aplicativo que permite o cadastramento da foto do passageiro, ficando vinculada ao seu CPF.

Edição: Sumaia Villela