Por Solimar Luz – Rio de Janeiro

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade, que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos, registrou inflação de 1,93% no 3º trimestre, período de julho a setembro. O percentual aponta alta frente ao segundo, quando o índice ficou em 0,03%.

Com isso, em 12 meses, a inflação para os idosos acumulou uma elevação de 4%, acima do indicador geral, de 3,62% no período.

O índice é calculado a partir da estrutura orçamentária de famílias compostas por, pelo menos, 50% de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, cuja renda esteja no intervalo de 1 a 33 salários mínimos mensais. O limite de 60 anos foi definido com base no Estatuto do Idoso.

Segundo a Fundação Getúlio Vargas, responsável pela divulgação do indicador, os itens que mais pesaram no bolso dos idosos foram energia elétrica, carnes, gasolina e as passagens aéreas. Também tiveram contribuições significativas habitação, alimentos em geral, educação, leitura e recreação, além do item despesas diversas. Na outra ponta, o setor de vestuário apresentou deflação de 0,73%.

Edição: Joana Lima