Salles diz que “fogo frio” pode ajudar a conter incêndios no Pantanal

Por Lucas Pordeus León – Brasília

Os senadores da comissão externa criada para avaliar o combate aos incêndios no Pantanal ouviram nesta terça-feira o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Salles enumerou as ações do governo federal no Pantanal nos últimos 2 meses, como o envio de brigadistas e aeronaves, e destacou que apenas 6% do território total do Pantanal é de responsabilidade direta da União, argumentando que o restante é de controle dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O ministro do meio ambiente ainda defendeu o fogo frio, que é o fogo controlado, e a pecuária como forma de reduzir os impactos dos incêndios no bioma.

O ministro ouviu críticas à atuação do ministério no controle das queimadas, como a do senador Fábio Contarato, da Rede, do Espírito Santo.

Já senador pelo Mato Grosso, Carlos Fávaro, do PSD, saiu em defesa do governo e da criação de gado no Pantanal.

E o presidente da Comissão, o senador Wellington Fagundes, do PL de Mato Grosso, opinou que a expansão do pasto para pecuária deve ser feita com controle.

Segundo dados divulgados pelo Laboratório de Satélites Ambientais, da UFRJ, a Universidade Federal do Rio de Janeiro, desde o início do ano até o último dia 3 de outubro, o fogo consumiu 26% do território total do Pantanal. Um aumento de 149% em relação a 2019.

Diante desse cenário, o Governo Federal liberou quase R$ 14 milhões para os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul usarem no combate aos incêndios.

Edição: Fabiana Pelles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *