Estudantes da 3ª série do ensino médio voltam às aulas no Rio

Estudantes da 3ª série do ensino médio retornarão às salas de aula a partir desta segunda-feira (19) em 16 municípios do Rio de Janeiro. O retorno está previsto em 416 escolas em caráter opcional.

A decisão do governo do estado abarca os municípios que não tomaram medidas de manterem as escolas fechadas e aqueles que estão fora da região classificada como laranja, considerada de risco médio de contágio para o novo coronavírus, como é o caso de toda a região Centro Sul Fluminense. Segundo a Secretaria Estadual de Educação, o contingente de estudantes autorizados a voltarem às atividades presenciais somam 63 mil.

O retorno vale para a capital e cidades grandes como Niterói, Mesquita e Duque de Caxias, mas não para todas as escolas. Na capital, serão 19 que voltarão a ter aulas presenciais, incluindo as modalidades regular, técnico e Educação de Jovens e Adultos, o EJA.

O retorno, no entanto, não conta com o apoio dos profissionais de educação que estão em greve para que o estado continue estimulando o ensino remoto e possibilitando as condições adequadas para que essa modalidade continue acontecendo até que haja uma vacina contra o novo coronavírus.

Em carreata realizada no Dia do Professor, na última quinta-feira (15), os profissionais de educação protestaram contra a volta das atividades presenciais nesta segunda-feira.

O secretário do Sepe, Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação, Rafael Mota, explica porque a categoria considera o retorno precipitado.

Segundo a Secretaria de Educação, dentro dos municípios que aderiram à flexibilização proposta pelo governo do estado para as escolas, 27 unidades não iniciarão as aulas presenciais com as demais porque suas equipes de direção declararam fazer parte do grupo de risco para a Covid-19.

A Secretaria divulgou também um vídeo mostrando a preparação dos colégios para receber os estudantes. As imagens mostram os produtos usados na limpeza, a disposição das carteiras e marcação de lugares de uso comum com adesivos alertando para o distanciamento, além de tapetes sanitizantes na entrada e dispensers de álcool em gel.

Edição: Lana Cristina

Fonte: Radio Agência Nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *