Por Lucas Pordeus Leon – Brasília

A Medida Provisória que estendeu o auxílio emergencial não vai ser pautada, por enquanto, no Plenário da Câmara dos Deputados, para não misturar o tema com as eleições municipais. A afirmação é do presidente da Casa, Rodrigo Maia, do Democratas.

O deputado fluminense ainda defendeu o acordo inicial para a formação da Comissão Mista do Orçamento. Esses são os dois temas têm que obstruído os trabalhos no plenário da Câmara. Por um lado, a oposição pede a votação da MP do Auxílio Emergencial e defende o aumento de R$300 para R$600 do valor do benefício.

Maia disse que só pretende colocar a Medida em votação depois das eleições. Maia comentou o assunto nesta segunda-feira (02) em uma entrevista exclusiva para o jornal Valor Econômico. Por outro lado, partidos da base do governo têm obstruído a pauta de votação para alterar a composição da Comissão Mista de Orçamento, a CMO, que ainda não foi instalada.

Maia defendeu que seja mantido o acordo com a deputada Flávia Arruda, do PL do Distrito Federal, na relatoria da CMO. Rodrigo Maia destacou que é preciso vencer essas obstruções para votar o orçamento e que o prazo é apertado.

O presidente da Câmara defende como prioridade para o Congresso votar neste ano a Reforma Tributária e a Proposta de Emenda a Constituição chamada de PEC Emergencial, que regula os gastos públicos.

Edição: Joana Lima

Fonte: Rádio Agência Nacional