Por Tâmara Freire – Rio de Janeiro

A presidente da Fundação Oswaldo, Cruz Nísia Trindade Lima, afirmou que a produção da vacina de Oxford, contra o novo coronavírus, deve começar em janeiro do ano que vem. Isso possibilitaria o início da imunização no mês de março.

A declaração foi dada nesta segunda-feira (02), após a cerimônia de inauguração da Chama da Esperança, uma pira que simboliza a iluminação para os cientistas que buscam a vacina contra a doença. O monumento fica no Cemitério da Penitência, na Zona Portuária do Rio. Outro símbolo de luz para as pesquisas, mas uma vela com a mesma chama, foi entregue à Fiocruz.

A Fundação é uma das instituições associadas à Universidade de Oxford e à farmacêutica Astrazêneca, um dos principais consórcios que estão desenvolvendo uma vacina contra a covid-19.

Pesquisadores da Fundação também estão contribuindo com testes clínicos de outras imunizações, e liderando mais dois projetos de vacinas nacionais, que ainda não chegaram à fase de testes. Uma delas é exclusiva da Fiocruz, outra está sendo desenvolvida em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais.

Edição: Joana Lima

Fonte: Agência Brasil