Amapá tem 65% da energia elétrica restabelecida

 Por Maíra Heinen – Brasília

Entrando no sexto dia de apagão, o Amapá teve 65% da energia elétrica restabelecida na tarde desse sábado (7), de acordo com informações do Ministério de Minas e Energia.

Em viagem ao estado, o ministro Bento Albuquerque acompanhou as ações para a normalização do fornecimento de energia e, neste domingo (8), fez uma visita técnica à subestação de Laranjal do Jari, da empresa Linhas Macapá de Transporte e Energia.

Treze dos 16 municípios amapaenses ficaram sem energia após a explosão de um transformador na subestação de Macapá, na noite de terça-feira (3). A semana foi de caos, com filas para conseguir água potável, engarrafamentos para compra de combustível, ausência de serviços de telefonia e perda de alimentos que dependiam de refrigeração.

Apesar da notícia de órgãos oficiais, de que a energia está sendo retomada no estado, a moradora da capital, Neucirene Almeida, explica que a situação ainda é caótica em Macapá e em outros municípios.

A Justiça do Amapá deu um prazo de três dias para que a energia seja totalmente restabelecida no estado, sob pena de multa de 15 milhões de reais direcionada à empresa Isolux, responsável pela Subestação Macapá. A decisão veio em resposta a uma ação popular.

A justiça também determinou que a multinacional apresente, em 12 horas, um plano de ações para a imediata solução do problema. A multa diária no caso de descumprimento é de 100 mil reais.

Sem energia e sem água, alguns moradores têm recebido ajuda de organismos mobilizados nas redes sociais. A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho do Pará e Amapá e a Associação dos Magistrados do Estado do Pará estão arrecadando doações financeiras. Elas são convertidas em cestas básicas e água mineral, itens que são distribuídos pela rede de organizações apoiadoras da campanha #SomosTodosAmapá.

No sábado, um decreto de estado de emergência foi assinado pelo governador Waldez Góes. Com a medida, o governo pretende ter acesso a recursos emergenciais, garantindo a distribuição de água potável, instalação de geradores de emergência, distribuição de combustível para alimentar os geradores, entre outras medidas.

Edição: Rosamélia de Abreu

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *