Por Paloma Varón, da Rádio França Internacional – Paris

A Agência de Vigilância Sanitária suspendeu os testes clínicos da vacina experimental chinesa contra o coronavírus após um grave incidente observando em um voluntário, mas o laboratório chinês disse, nesta terça-feira (10), que está confiante na segurança de seu produto.

A suspensão da Coronavac ocorreu no mesmo dia em que a gigante norte-americana Pfizer anunciou que sua vacina contra o coronavírus havia alcançado 90% de eficácia.

A Anvisa decidiu interromper os ensaios clínicos da vacina após um grave incidente no Brasil, ocorrido no dia 29 de outubro. Ela não detalhou o que aconteceu, mas adiantou que, nesse tipo de incidente, pode ocorrer morte, efeitos colaterais fatais, incapacidade grave e outros eventos clinicamente significativos.

O Isntituto Butantan, que coordena os testes com a Coronavac no Brasil, disse que ficou surpreso com a decisão e deve dar uma coletiva de imprensa ainda hoje.

Em nota, o laboratório chinês Sinovac Biotech, que produz a Coronavac, disse que o incidente em questão no Brasil não tem relação com a vacina.

As vacinas candidatas Pfizer e Sinovac estão na fase 3 de testes, a última antes de receber o sinal verde das autoridades regulatórias.

Ambas estão sendo testadas no Brasil, o segundo país mais enlutado com a pandemia, com mais de 162 mil mortes.

Agência Brasil