Por Dayana Vitor – Brasília

Desde abril, o auxílio emergencial vem ajudando a complementar a renda de muitas pessoas que foram prejudicadas com a pandemia. Mas no Distrito Federal, a Polícia Federal investiga um grupo que estaria envolvido com fraudes para receber irregularmente o benefício. De acordo com as investigações, os envolvidos estariam adulterando dados para receber o auxílio emergencial do governo.

A Operação Resiliência realizou 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de Itapoã e Paranoá.

Durante as buscas, foram encontradas também drogas e armas de fogo. Por causa desses crimes, até o fechamento desta reportagem, cinco pessoas tinham sido presas em flagrante: duas pelo crime de tráfico ilícito de entorpecentes e três por posse ilegal de arma de fogo.

De acordo com a Polícia Federal, os membros da quadrilha recebiam o auxílio fraudado no próprio nome, em alguns casos, também realizavam o golpe em nome de terceiros, que recebiam um percentual do valor do benefício irregular.

Segundo os investigadores, há indícios de envolvimento do grupo com o tráfico de drogas; fraudes com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Edição: Ana Pimenta