Geólogos e engenheiros apuram causas de desabamento da falésia em Pipa

Por Anna Luisa Praser – Brasília

Bombeiros e uma equipe formada por geólogos e peritos em engenharia civil estiveram na praia de Pipa, no Rio Grande do Norte, nesta quarta-feira, para apurar as causas do desabamento de uma falésia que vitimou uma família.

A inspeção é o ponto de partida para que a prefeitura tome as medidas adicionais necessárias e garanta a segurança dos frequentadores da praia de Pipa. Um dos itens avaliado é a dimensão das interdições feitas no local – se vai precisar aumentar o perímetro ou se ainda é necessário manter o isolamento. Isso porque uma área de 100 metros em torno da falésia foi demarcada nessa terça-feira para impedir a circulação de pessoas no local. Com isso, os estabelecimentos que funcionam nesse ponto também tiveram de fechar.

Além da inspeção na área, representantes da Defesa Civil, entidades ambientais locais e estaduais se reuniram nesta quarta-feira com o Ministério Público Federal para tratar do caso e avaliar a aplicação de mais medidas de segurança. 20 donos de estabelecimentos que funcionam nas proximidades da falésia participaram do encontro.

O governo também se preocupa com o caso. Pelo Twitter, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, escreveu que “uma engenheira e um geólogo foram enviados à região para avaliarem os riscos e as medidas de prevenção necessárias na praia de Pipa, no Rio Grande do Norte”. 

Além disso, a Defesa Civil disse já conhecer os riscos e, por esse motivo, já vem instalando placas com orientações de segurança que devem ser seguidas pelos frequentadores.

Em entrevista à Rádio Nacional, o tenente-coronel da Defesa Civil de Tibau do Sul, município que abriga a praia de Pipa, Marcos de Carvalho, deu orientações para quem pretende visitar a região.

Nessa terça-feira, parte de uma falésia desabou e atingiu três pessoas de uma mesma família: um casal e o filho de sete meses. A criança chegou a ser resgatada com vida, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no local.

A prefeitura de Tibau do Sul publicou uma nota de pesar e lamentou o falecimento de Hugo Mendes Pereira, Stela Souza e do bebê, Sol, vítimas desse trágico acidente – e reforçou a importância da população e turistas evitarem se aproximar desses paredões sedimentares.

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *