Por Renata Martins – Brasília

A formação de quem trabalha na educação de jovens e crianças nas escolas em quilombos ganhou um reforço.

Nesta quinta (3) e sexta-feira (4) será realizada a 1ª Jornada Nacional Virtual Quilombola.

O evento vai abordar aspectos peculiaridades dos quilombolas, como a memória dos mais velhos e as tradições orais na formação dos indivíduos.  

A professora da Universidade de Brasília (UnB) e coordenadora do evento, Givânia Silva, uma pesquisa realizada pela Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) aponta que um dos grandes desafios da educação escolar de comunidades quilombolas é a formação dos professores.

A professora considera que a história do Brasil contada nas escolas subjuga índios e negros, e não atribui a eles valor na construção do país.

A programação da 1ª Jornada Nacional Virtual Quilombola vai abordar a formação de docentes, currículo e práticas pedagógicas voltadas para essas comunidades, além da inserção no cotidiano escolar de temáticas mobilizadoras necessárias para a proteção dos direitos quilombolas e reconhecimento da identidade.

As mesas também trazem depoimentos de pessoas mais velhas, com histórias de lutas de homens e mulheres quilombolas pela educação, além de música, poesia e dança.

As inscrições podem ser feitas em jornadaquilombola.site.com.br

Os educadores participantes do evento recebem certificado da Universidade de Brasília.

Edição: Ana Pimenta