PGR envia denúcia ao STJ contra governador do Amazonas, Wilson Lima

Por Daniella Longuinho – Repórter da Rádio Nacional – Brasília

A Procuradoria-Geral da República enviou denúncia ao Superior Tribunal de Justiça, nessa segunda-feira, contra o governador do Amazonas, Wilson Lima, do PSC, o vice-governador, Carlos Almeida, do PTB Também foram denunciados o secretário chefe da Casa Civil do estado, Flávio Antony Filho, o ex-secretário de Saúde Rodrigo Tobias e outras 14 pessoas, entre servidores públicos e empresários. Todos são acusados de cometer crimes na compra de respiradores para pacientes com a covid-19.

Segundo a Procuradoria-Geral, a investigação começou no ano passado, depois de notícias de que 28 aparelhos haviam sido comprados em uma loja de vinhos.

A subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, que assina a denúncia, alega que teria sido instalado no governo estadual uma estrutura burocrática comandada por Wilson Lima para se aproveitar de contratações de insumos para o enfrentamento da crise sanitária, inclusive usando a dispensa de licitação.

Os denunciados são acusados também de peculato e de causar prejuízos superiores a 2 milhões de reais, com base, segundo a Procuradoria, em documentos, depoimentos e trocas de mensagem entre os investigados, apreendidas em operações do Ministério Público.

A PGR pede a condenação dos investigados, a perda dos cargos e ao pagamento de indenização nos valores supostamente desviados.

Foi ainda apresentada ao STJ uma segunda denúncia contra Wilson Lima e três servidores – incluindo o ex-secretário de Saúde –, além de empresários, envolvendo o fretamento indevido de aeronave para o transporte de respiradores.

Em nota, o governador Wilson Lima informou que, embora ainda não tenha sido notificado, a denúncia oferecida pela PGR “não apresenta provas do envolvimento dele em supostos crimes relacionados aos fatos em apuração”. Wilson Lima “reafirmou a probidade e legalidade de todos os seus atos à frente do Governo do Amazonas, sobretudo no enfrentamento da pandemia da Covid-19”.

A nota diz ainda que o governador do Amazonas está à disposição para prestar todas as informações solicitadas e que mantém total confiança de que a Justiça haverá de reconhecer, oportunamente, que as acusações são ‘totalmente infundadas’.

Edição: Roberto Piza/ Patrícia Serrão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.