Resumo da novela Coração indomável 15/11 a 19/11

15 de novembro

Em seu estúdio, Afonso serve vinho a Aníbal, o apressa a toma-lo e oferece dinheiro pelo quadro “Liberação”, Aníbal se nega a vendê-lo e o diz que inscreverá o trabalho numa grande exposição, na qual pode ganhar fama e muito dinheiro. Lucrécia, Leonor e Hermínia elogiam o sucesso da exposição de Afonso e parabenizam Mercedes por seu casamento com Afonso. Afonso se despede de Aníbal e pensa em não devolver a ele seu quadro. Um apreciador de pinturas alemão oferece uma grande quantia em dinheiro a Afonso pelo quadro “Liberação”. Afonso se nega a vende-lo, então o comprador aumenta a oferta e o diz que o quadro é um trabalho de genialidade. Clementina e Maricruz ouvem que o quadro “A Dama” foi roubado. No quarto do hotel, Otávio, furioso, destroi o quadro “A Dama”. Maricruz chega ao estúdio de Afonso e escuta Aníbal que lhe pede que devolva sua obra. Afonso oferece mais dinheiro pela obra. Afonso diz a Maricruz que ofereceu uma alta quantia em dinheiro a Aníbal, porque já vendeu muitas obras. Maricruz o chama de ladrão e Afonso diz que se ela não se aliar a ele, processará Otávio pelo roubo do quadro “A Dama”.

Maricruz e Afonso chegam a um acordo que nem ele dirá quem roubou o quadro e nem ela quem é o seu autor. Clementina diz que Maricruz é uma aventureira com passado obscuro. Maricruz lhe dá um tapa. Dóris sugere a Otávio que envie os restos do quadro para Afonso. Maricruz diz a Joaninha que Afonso pode chegar a acusar Otávio de haver roubado seu quadro, e se ele o fizer, todos estarão envolvidos em um grande escândalo. Por telefone, Afonso pede a Elsa que lhe dê um tempo para resolver seus problemas e posteriormente a chamará para que se vejam. O agente Giménez pergunta a Maricruz se ela tem alguma suspeita quanto ao roubo de seu retrato, ela nega. Maricruz diz a Clementina que deixará a casa. Afonso diz a Clementina que o ex-esposo de Maricruz foi quem roubou o quadro dela. Afonso recebe junto a carta, o quadro de Maricruz em pedaços. Afonso diz a Natasha que ele pode causar muitos contratempos a Maricruz e que exibirá, no mesmo lugar onde estava o quadro “A Dama”, uma nova obra intitulada “A Dama Nua”. Maricruz diz a Joaninha que está certa que Afonso buscará se vingar dela. No quarto de Otávio, o agente Giménez o interroga sobre o roubo do quadro “A Dama”. Otávio se mostra indiferente. O agente mostra a Otávio umas provas que o comprometem e ele acaba confessando ser o autor do roubo. Afonso termina de pintar o quadro de Maricruz nua. O inspetor diz a Afonso que Otávio foi quem roubou seu quadro. Na galeria, Aníbal vê a obra “A Dama Nua” e a reconhece como a melhor pintura já feita por Afonso. Clementina lê em um jornal que na galeria está exposto uma nova pintura com a mesma dama, agora nua, e que muitos já reconhecem a obra como uma das melhores já feitas.

16 de novembro

Um comprador estrangeiro oferece uma alta quantia em dinheiro a Afonso pelo quadro “A Dama Nua”. Célia diz a Clementina que o compromisso de Mercedes e Afonso está desfeito devido a toda a polemica em torno do novo quadro. Joaninha mostra a Maricruz o jornal onde saiu a foto de seu quadro nua. Maricruz se enfurece e diz a Joaninha que matará Afonso. Célia diz a Mercedes que o compromisso dela com Afonso está desfeito. Maricruz pede a Joaninha que leve Lupita com Otávio e lhe diga o que planeja fazer com Afonso. Mercedes ameaça se suicidar caso Célia não permita seu casamento com Afonso. Maricruz toca a campainha com insistência no apartamento de Afonso. Aníbal tenta acalmá-la. Clementina diz a Afonso que Célia rompeu seu compromisso com Mercedes. Maricruz, furiosa, diz a Aníbal que irá procurar Afonso para matá-lo e sai. Maricruz decide não matar Afonso já que o culpado de tudo é Otávio. Afonso chega a seu estúdio e Aníbal o espera. Afonso o vê e convida para entrar. Aníbal entra e lhe conta sobre a fúria de Maricruz. Joaninha pede a Maricruz que não trabalhe em nenhum lugar que a denigra como mulher. Mercedes chega à casa de Clementina e diz que fugiu porque Célia não lhe permitiria casar se com Afonso.

17 de novembro

Aníbal se desespera ao descobrir que seu quadro não está mais na galeria e diz ao inspetor de polícia e ao agente Giménez que o ajude a recuperar seu quadro “Liberação”. Dóris diz a Otávio que roubaram o quadro de Aníbal da exposição de Afonso. O Inspetor e o agente suspeitam que o roubo do quadro foi uma jogada de Afonso para gerar publicidade para a exposição. Maricruz diz a Joaninha que seria melhor irem embora da cidade e começar uma nova vida em um local onde ninguém as conheça. Dóris diz a Otávio que Afonso substituiu o quadro “A Dama” pelo quadro “A Dama Nua”. Otávio se decepciona com Maricruz. Na casa de Clementina, Célia, furiosa, diz que deixará que Mercedes e Afonso se casem, mas nunca os apoiará economicamente. Otávio pensa em matar Afonso. Afonso diz ao agente de polícia que não sabe nada do quadro “Liberação”. O agente diz que não vale a pena mobilizar toda a polícia pela busca do quadro, já que ele não tem um valor muito elevado. No apartamento de Afonso, Aníbal ameaça Afonso com uma navalha. Afonso diz que vendeu o quadro por cento e cinquenta mil reais e que o homem que o comprou reside na Alemanha. Aníbal diz que o quadro valia mais de trezentos mil. Aníbal golpeia Afonso com a navalha e sai do apartamento. Afonso fica inconsciente no chão ensanguentado. Otávio entra no apartamento de Afonso e o encontra morto. Ao sair se encontra com João José e diz a ele que Afonso está no chão apunhalado mortalmente. João José culpa Otávio pelo assassinato de Afonso. Clementina recebe por telefone a informação da morte de Afonso e cai desmaiada. Rita diz a Francisco que acredita que Afonso está ferido em seu estúdio. Francisco e Mercedes saem. Um agente de polícia prende Otávio pelo assassinato de Afonso. Dóris é informada da detenção de Otávio.

Maricruz diz que é a culpada pelo assassinato de Afonso e é presa. Otávio diz a Doris que não está feliz por estar livre, pois Maricruz se declarou culpada. Joaninha leva Lupita a Otávio e lhe diz que Maricruz não matou Afonso, mas se declarou culpada só para salvá-lo. Clementina pede a Francisco que use todos os seus recursos para que Maricruz não saia da cadeia. Mercedes condena Maricruz pela morte de Afonso. Otávio propõe casamento a Dóris caso ela contrate um bom advogado para tirar Maricruz da cadeia. Na delegacia, o Advogado Navarro se apresenta a Maricruz como seu representante e diz que foi Otávio quem o contratou.

18 de novembro

Bernardo informa Maricruz que ela será transferida para um presidio de mulheres. Doris adverte Otávio que se em algum momento a chamarem, ela será uma das testemunhas de acusação a Maricruz. Perante o juiz, Maricruz reafirma ter matado Afonso. Maricruz é transferida para o presidio de mulheres. Otávio duvida da inocência de Maricruz. O Advogado Navarro informa a Otávio que Maricruz já está reclusa no presidio de Mulheres. O advogado Navarro diz a Otávio que o caso de Maricruz é muito difícil, pois ela mesma se declarou culpada. Dessa forma, ele apenas tentará fazer com que ela fique o menor tempo possível na cadeia. O padre Julio mostra a Alvaro um jornal onde aparece Maricruz sendo acusada de assassinato. Na cadeia, Dominga leva Maricruz a sua cela e lembra que ela deve obedecer ao regulamento, porque os castigos para as rebeldes são bem severos. Alvaro decide investigar a situação de Maricruz para saber se pode ajudá-la. Pedro se surpreende ao saber que Maricruz está na cadeia. Em sua cela, Carol reconhece Maricruz. Nilda promete a Mudinha que ajudará Maricruz a se livrar da cadeia, pois sabe que ela é inocente. Maricruz pede a Carol que não lhe dirija a palavra, porque não deseja ter trato com ela. Na fazenda de Simone, José Antonio cai do cavalo e é arrastado pelo mesmo, Santa e Amador veem a cena e decidem leva-lo a sua casa. Carol adverte Maricruz dizendo que não a deixará em paz. No hospital, o Doutor Guerra diz a Esther que José Antonio corre risco de vida por causa do forte golpe que recebeu. Carol diz a Maricruz que ela também está na cadeia por assassinato.

19 de novembro

Carmela oferece ajuda a Carol para fazer da vida de Maricruz na cadeia um inferno. Cira oferece a sua amizade a Maricruz. Na sua cela, Carmela pede a Maricruz um cigarro e ela nega. Teresa expulsa Carmela de sua cela. Otávio diz a Doris que irá embora com ela, Lupita e Miguelzinho se Maricruz for julgada culpada. O Doutor Guerra pede a autorização de Esther para operar José Antonio, pois acredita que ele está com hemorragia interna. Doris visita Maricruz fingindo que quer a ajudar e lhe diz que pagará todos os honorários do advogado Navarro. Doris diz a Maricruz que gosta de Lupita como se ela fosse sua própria filha. Maricruz lhe diz que Lupita jamais será e pede que Doris as deixe em paz. Em sua cela, Maricruz diz que não se importa que Otávio e Doris se casem, mas que jamais aceitará que Lupita fique com eles. Maria diz a Santa que irá embora do país.

Doris, de fora da cadeia, vê Otávio chegar e diz esperar que Maricruz não aceite vê-lo. O doutor Guerra diz a Esther que, em consequência do golpe sofrido, José Antonio pode ficar em uma cadeira de rodas. Maricruz pede a Teresa que diga a Otávio que não vá mais vê-la. Otávio diz a Doris que Maricruz não o recebeu, e que certamente segue o odiando. No refeitório da cadeia, tentam provocar Maricruz. Carol agride Carmela, Teresa aparece, as separa e tranquiliza. Dominga aconselha Maricruz que se cuide, pois Carol tem autoridade entre as demais detentas. Nilda, Mudinha e Pedro visitam Maricruz. Esther diz a Simone que não deixará José Antonio caso ele fique inválido, pois será um castigo para ele. Ela dividirá esse peso com ele, pois o ama. O advogado Navarro diz a Otávio que a pena menos severa que Maricruz deverá pegar é de 10 anos de reclusão. Na sala de visitas, Maricruz informa ao advogado que já não quer mais a sua defesa. Otávio se convence que Maricruz não é assassina e decide seguir a visitando mesmo contra sua vontade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *