Resumo da novela Nazaré 13/12 a 17/12

13 de dezembro

Bernardo vai ao Lar e começa a gritar por Olívia. Ermelinda avisa-o que se for a correr ainda é capaz de a apanhar antes do comboio partir. Bernardo acha que se ela o abandonou não vale a pena correr atrás. Verónica chega à Atlântida e fica surpreendida por encontrar Isabel, uma amiga sua de longa data. Isabel conta a Verónica que está ali para investir na região e que já comprou o Lar Terceira Onda onde pretende fazer um resort e que está a pensar comprar o Mercado para fazer um centro comercial. Verónica fica entusiasmada e diz à amiga que espera que a decoração fique a seu cargo. Gonçalo tem pesadelo e acorda muito agitado, chora e diz a Laura que matou um homem e que não consegue viver com esse peso. Laura acalma o marido e diz que juntos vão ultrapassar o problema. Ana comenta com o irmão que não acha normal a decisão da mãe de ter desistido da PJ assim sem razão aparente. Cris acha que a irmã está a exagerar, mas Ana permanece desconfiada. Nuno encontra-se com Joaquim no Hotel e diz-lhe que desconfia de Verónica mas que infelizmente não conseguiu encontrar nenhuma prova que ajude Nazaré. Já na sua cela, Nazaré recebe o apoio de Olga no dia de nova audiência no tribunal. Nazaré agradece à companheira e diz que tudo se torna mais fácil com ela.

Nazaré e Toni aguardam no corredor do tribunal enquanto falam sobre as expetativas para a audiência e Toni vai-se declarando a Nazaré dizendo que com ela é feliz em qualquer lugar. Duarte chega com Bárbara e comunica a Nazaré que não conseguiu nada que a inocentasse. Decorre o julgamento de Nazaré enquanto vemos que Toni, Duarte e Nazaré testemunham. Sem que ninguém espere, o Dr. Leonardo recebe um envelope anónimo com a indicação de que o que lá está vai inocentar Nazaré. O advogado insiste em mostrar a pen e vemos as imagens da morte de António no ecrã da sala de audiências. Nazaré chora de felicidade, Duarte chora por estar a reviver a morte do pai e o juiz avisa todos os presentes que não aceita aquela prova antes que a mesma seja verificada. Na casa Félix, Verónica aparenta estar calma enquanto Heitor está com receio do julgamento da Nazaré e do que possa decorrer daí. De repente, Verónica olha para Heitor e diz que já sabe como vai recuperar a neta e que será através de Cris. Verónica diz a Heitor que vai precisar dos seus serviços.

14 de dezembro

Na sala de visitas da prisão, Toni diz a Nazaré que não matou Félix e que muito menos era ele quem tinha aquela pen pois, se fosse esse o caso, tinha-a entregue há muito tempo. Gonçalo continua sem saber gerir a situação em que se encontra e desabafa com Laura que também desaba, não é fácil para nenhum deles. Laura, contudo, pede a Gonçalo que se aguente e que tente não dar mais aso às dúvidas de Ana. Nazaré comenta com Olga que não faz ideia quem possa ter entregue a pen. A companheira diz-lhe que não conhece Toni mas, pelo que ela conta, não lhe parece que tenha sido ele. Nazaré fica pensativa, mas Olga aconselha-a a concentrar-se é na sua liberdade. Na Quinta, Duarte diz a Bernardo que não interessa quem entregou a pen mas sim que Nazaré será libertada. Bárbara e Bernardo falam da possibilidade de ter sido Toni, mas Duarte defende-o. Verónica vai até ao Hotel e entrega a Nuno tudo o que restava dele na sua casa. Nuno está admirado que Verónica tenha ido ter com ele sozinha e garante-lhe que não a deixará em paz.

15 de dezembro

Heitor vai ter com Verónica e confirma que já tem a dose de heroína que ela pediu. Verónica dá-lhe ordens para ir ao Hotel, drogar Cris e esconder o resto da droga no seu quarto. No Lar, Ermelinda e Floriano comentam, com alguma estranheza, a saída repentina de tantos idosos de lá. Ismael diz que não sabe o que se passa e olham-se preocupados. Na Quinta, Duarte pede a Bárbara que se despache para não chegarem tarde ao julgamento. Bárbara apressa-se a dizer que não quer demorar muito tempo pois esteve a medir a temperatura e a verificar que é o dia certo para engravidar. Érica vai buscar Yara ao Hotel e está a enchê-la de beijinhos enquanto agradece a Cris todo o cuidado e dedicação que tem à filha. A jovem elogia-o dizendo que nunca esperou que se tornasse num pai tão incrível. Heitor entra no Hotel sem ser visto e desliga o sistema de vigilância. De seguida, precipita-se para o quarto de Cris. Quando este sai da casa de banho, bebe a água, que o faz cair inanimado. Já com Cris na cama, Heitor dá-lhe uma dose de heroína e espalha o resto pelo quarto.

No Tribunal, Nazaré é declarada inocente e todos festejam esta vitória quando o inspetor Prata surge para deter Duarte. O choque é geral quando o inspetor afirma que encontraram a impressão digital de Duarte na pen que foi entregue em tribunal com as imagens da morte de António e que esse facto torna Duarte um dos suspeitos da morte de Félix. Bárbara fica em choque e diz ao inspetor que deve haver algum erro. Nazaré e Joaquim também tentam ajudar e defender Duarte, mas o inspetor diz que o jovem terá de o acompanhar para prestar declarações. Verónica está satisfeita por Duarte estar a ser acusado da morte de Félix enquanto Heitor tem receio do que Nazaré possa fazer contra eles a partir de agora. Verónica tenta descansá-lo dizendo que vai encontrar forma de manter Nazaré em silêncio. Na receção do Hotel, Laura comenta com Ana que deviam começar a investir em publicidade para voltar a chamar hóspedes ao hotel. Ana tem dificuldade em concentrar-se na conversa da mãe porque ouve Yara a chorar sem parar. Quando chega ao quarto de Cris, Ana grita assustada e chama Laura ao ver o estado em que irmão se encontra. Ana pega na sobrinha ao colo enquanto Laura tenta acordar o filho.

16 de dezembro

Isabel está no Mercado e aproveita para meter conversa com Matias dizendo-lhe que podia ser modelo ou ator porque tem muito bom ar. Dolores, que ouve a conversa, insulta Isabel dizendo que ela quer é tirá-los a todos do mercado, mas que não vai conseguir. Érica fala com Laura, na receção do Hotel, e exprime a raiva que sente de Cris pois não entende como foi capaz de voltar a meter-se nas drogas. Laura compreende a posição da jovem mas pede-lhe, encarecidamente, que não afaste Yara de Cris. Laura sobe ao quarto do filho e procura pela restante droga quando Gonçalo e Cris surgem e este diz à mãe que não sabe o que aconteceu, mas que não se drogou. Ninguém acredita nele.

Duarte está a ser interrogado pelo Inspetor Santos quando diz que efetivamente viu as imagens que estavam na pen, mas que não ficou com ela, o tio levou a pen consigo e Duarte nunca mais soube qual o seu paradeiro. Duarte está desesperado e pede ao Inspetor que investiguem esta história. Na Atlântida, Verónica fica surpreendida quando vê o Inspetor Santos a entrar. O Inspetor informa-a de que vão apreender todo o material informático. Heitor fica nervoso quando se apercebe do que se está a passar, mas Verónica acalma-o dizendo que não há nada nos computadores que os comprometa pois desfez-se de tudo depois de descobrir as escutas que Nuno lhe tinha posto em casa. Cris vai a casa dos Soares falar com Érica pois quer dar-lhe uma justificação. O jovem diz que não fez nada e não sabe como aquilo aconteceu. Érica exalta-se e Joaquim aconselha Cris a ir-se embora antes que as coisas piorem.

Matias liga a Glória a avisar que vai buscar Toni à prisão pois o Juiz alterou a medida de coação e o irmão já pode sair. Quando Matias chega para ir buscar Toni, o jovem não está lá. Duarte regressa a casa com pulseira eletrónica e agradece ao Dr. Leonardo toda a ajuda. Bernardo, visivelmente agitado, pergunta ao primo se foi ele que matou Félix e Duarte diz-lhe que não lhe faltou vontade, mas que não foi ele que o matou. Bernardo acredita no primo e está determinado a descobrir o verdadeiro culpado. Na Quinta, tocam à campainha. É Toni que exige a Duarte que confesse que foi ele que matou o tio e que acabe de tentar incriminar pessoas inocentes. Duarte desmente Toni e diz-lhe para se ir embora, mas os dois envolvem-se à pancada. Já no Restaurante, Toni chega com o nariz com sangue para o espanto de todos. Nazaré pergunta-lhe o que se passou e ele diz que foi tirar satisfações com Duarte. Nazaré fá-lo ver que Duarte pode ser inocente, tal como eles, e estar a ser acusado injustamente.

17 de dezembro

Matilde e João voltam a discutir e decidem que será melhor ficar cada um a viver no seu sítio pois não estão a conseguir partilhar a rotina diária da casa. Nazaré vai até à Quinta saber como está Duarte pois já soube que Toni lá foi a casa. Bárbara, quando a vê, apronta-se a fazer uma cena de ciúmes, mas Nazaré desvaloriza e diz que foi apenas ver como estava Duarte. No bar do Hotel, Toni e Nazaré discutem se devem acreditar em Nuno ou não quando um jornalista aborda Nazaré e ela decide dar a entrevista. Nazaré acusa Verónica de todos os crimes e diz, alto e bom som, que Verónica é uma mentirosa e uma manipuladora que tentou incriminar toda a gente para se safar.

Toni e Nazaré estão reunidos com Nuno quando ele lhes diz que acha que não deviam pensar neste processo através de Verónica, mas sim de Félix, que ainda que esteja morto pode ajudar. Os três falam com Ana que tenta lembrar-se de alguma coisa estranha que tenha acontecido com Félix aquando da sua estadia no Hotel. Ana lembra-se da discussão que Félix teve com Duarte e que Bárbara também lá estava. Nuno fica a pensar em Bárbara. Cris, a ressacar, invade o quarto de um cliente e rouba-lhe dinheiro. Toni conta ao inspetor Prata aquilo que Ana lhes contou e aproveita para tenta enterrar ainda mais Duarte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.