Violência contra mulher: Telegram e WhatsApp também recebem denúncias

Por Kariane Costa – Repórter da Rádio Nacional – Brasília

Denúncias de violação dos direitos humanos e violência contra mulher já são atendidas por outros canais além do Disque 100 e Disque 180. A campanha de fim de ano do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos quer reforçar o uso de aplicativos no atendimento, que ainda são pouco utilizados pela população.

O aplicativo Direitos Humanos Brasil, o Telegram e o WhatsApp estão entre as ferramentas que podem ser usadas. E com as tecnologias, ainda é possível anexar à denúncia mídias como áudios, fotos e vídeos.

A Coordenadora geral de gestão do disque Direitos Humanos Ana Terra Teles lembra ainda, que é garantido o anonimato do denunciante.Outra facilidade é que o site da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos conta com um chat em tempo real e atendimento em Libras.

O canal recebe as denúncias, mas quem faz a apuração da ocorrência e dá os encaminhamentos são órgãos como o Ministério Público, a Policia Civil e a Policia Federal.

Entre os grupos atendidos pelo Disque 100, estão crianças e adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas em restrição de liberdade, população LGBT e população em situação de rua.

O serviço também está disponível para denúncias de casos que envolvam discriminação étnica ou racial e violência contra ciganos, quilombolas, indígenas e outras comunidades tradicionais.

Já as denúncias de violência contra a mulher são registradas pelo Ligue 180.

Qualquer cidadão pode denunciar pelos canais, que funcionam 24h por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. Eles podem ser encontrados no site www.gov.br/mdh.

Até inicio do mês de dezembro mais de 290 mil denúncias foram registradas de acordo com dados no site do Ministério. Dessas 188 mil foram contra mulheres.

Edição: Jacson Segundo / Beatriz Arcoverde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *